Uma das etapas mais importantes da jornada de compra de um imóvel é a visita. Durante esse momento você pode conferir de perto todas as características que te agradaram no imóvel, e checar “com seus próprios olhos” se elas são mesmo como imaginado. Mais do que isso, a visita tem um poder decisivo na hora de tomar a decisão de compra, portanto diferentes aspectos do imóvel devem ser analisados. 

Quer saber como fazer uma boa visita e não deixar nenhum detalhe importante de lado nessa hora? Preparamos um conteúdo exclusivo para você! Confira agora:

Dicas gerais para você fazer uma boa visita!

Inicie a visita de fora para dentro

O que ninguém te conta é que a visita inicia antes mesmo de você entrar no imóvel. Observar a rotina do bairro, os serviços disponíveis nos arredores do empreendimento, e outros fatores como barulho e o tráfego na rua do imóvel, são questões essenciais a se considerar na hora de visitar o imóvel. Afinal, tudo isso vai influenciar diretamente no seu dia a dia, e tem um peso grande na hora da decisão final. 

Além disso, vale atentar para o estilo do bairro onde estão localizados esses imóveis. Se você quer conforto e tranquilidade para sua família, um bairro cosmopolita, com rotina urbana agitada pode não ser uma boa pedida. Setores próximos a universidades, indústrias e centros comerciais, também tendem a ser locais mais movimentados. Enquanto regiões próximas a parques, ou estritamente residenciais, garantem mais tranquilidade e bem-estar para quem busca fugir do corre-corre da cidade. Por isso, pesquise e cheque os hábitos e tendências da região onde você está considerando comprar. Para se guiar nessa busca inicial, que tal ler nosso artigo sobre O que considerar na hora de escolher a localização de um imóvel?

Outra dica importante é visitar o imóvel que você está interessado em momentos estratégicos do dia, na hora em que geralmente você chega do trabalho, por exemplo, para avaliar o trânsito da região. Além disso, observar a incidência do sol no imóvel, pela manhã ou no final da tarde, também é um bom critério de avaliação.

Analise o espaço interno do imóvel

Você já teve a sensação de entrar em um espaço e perceber que ele era menor, ou maior, do que você imaginava?

Pois é! Facilmente a nossa visão espacial é enganada por ângulos de captura de imagens ou projetos gráficos. E mesmo sem nenhum truque, a maioria das pessoas sente dificuldade em dimensionar fisicamente o desenho de uma planta, por exemplo.

Por isso, é primordial que você avalie com atenção as medidas e a disposição dos cômodos, além do espaço interno disponível para alocação de mobílias no imóvel. Anota aí tudo que você vai precisar para não deixar nenhum centímetro passar despercebido:

  • Leve uma trena. Meça a parte interna dos cômodos, corredores, e até altura e largura de portas e janelas. Essas informações podem ser úteis no momento de pensar na mobília do apartamento, principalmente se você precisa transportar seus móveis utilizados para a casa nova!
  • Tome notas e se organize. Anote todas as suas impressões de cada imóvel, dimensões e detalhes de forma ordenada e visual. Depois de visitar diversas opções, provavelmente você não vai se lembrar das particularidades de cada uma delas, por isso essa “cola” para consultar na hora de fazer a comparação dos empreendimentos é fundamental!
  • Tire fotos. Você precisa conhecer bem seu futuro imóvel, se imaginar nele. Então por que não ter seus próprios registros para revisitar antes de finalizar a compra?
  • Não tenha medo de perguntar! Durante a visita diversas questões podem surgir: posso trocar o piso? Há possibilidade de personalização dos acabamentos? O aquecimento é à gás? Não saia da visita com nenhuma dessas dúvidas! Pergunte ao profissional imobiliário que estiver te acompanhando tudo o que você achar pertinente, afinal, essa pode ser sua futura residência, e você não quer ter uma surpresa indesejada na hora da mudança, não é mesmo?!

Dê mais atenção aos cômodos que você mais vai utilizar

Qual local é o coração da casa, para você? Se você trabalha em regime de home-office, provavelmente é o escritório. Já para a família que adora se reunir para o almoço ou jantar, a cozinha é o cômodo mais caloroso! Pense no tempo que você permanece diariamente nesses espaços e as funcionalidades essenciais para eles: é vital que essa peça seja espaçosa? Precisa ser o cômodo mais  silencioso da casa? Conectividade, iluminação ou até mesmo a temperatura, são fatores  importantes para esse ambiente? 

Considerar todas essas variáveis ainda no momento de visita pode garantir a sua qualidade de vida no futuro imóvel! Não esqueça de elencar os pontos “altos e baixos” em cada um dos empreendimentos visitados para não perder essa informação na hora de comparar os imóveis visitados.

Avalie o combo: vista, andar e incidência do sol

Esses três fatores estão diretamente ligados. A vista pode mudar totalmente a sua percepção sobre o imóvel. Empreendimentos com vista para parques, praias e praças são os mais requisitados pelo mercado. 

Já o andar do imóvel, apesar de não influenciar tanto quanto a vista no valor e procura pelo imóvel, também pode ser uma questão de análise no empreendimento. De maneira geral, quanto mais alto o andar, mais caras são as unidades, sendo as coberturas ou penthouses geralmente as mais caras no empreendimento. 

Além disso, a incidência solar é outro fator de análise desde a primeira visita. Os apartamentos com incidência do sol nascente são mais valorizados, principalmente nas cidades de temperatura extrema, como Goiânia, nas quais o sol poente costuma deixar os ambientes mais abafados.

Garagem – queridinha ou vilã dos empreendimentos?

A garagem é um item que, além de facilitar a vida dos moradores, pode influenciar diretamente na valorização, ou desvalorização, do imóvel. Isso varia de acordo com dois fatores principais: quantidade de vagas e posição.

A quantidade de vagas é um fator de valorização. Geralmente os empreendimentos contam com uma ou duas vagas de garagem, e na maioria dos condomínios é possível fazer o aluguel de garagens que não são utilizadas para outros moradores. Já a posição da vaga pode ser um fator negativo ao valor do imóvel. Verifique sempre se a vaga não é tipo “gaveta”,  onde dois carros são estacionados em vagas sequências que obrigam um carro a ser retirado para que o “engavetado” possa sair. Se as duas vagas “gaveta” forem suas, menos mau, mas se uma das vagas pertencer a outro proprietário, pense bem se este não será um incômodo excessivo para você.

Exemplo de vaga fechada
Exemplo de vaga fechada em condomínio.

Que bom ver que você chegou até aqui! A partir de agora você tem dois caminhos para prosseguir com a leitura: dicas para visitas em imóveis novos e imóveis usados. Afinal, há diferenças fundamentais nesses dois tipos de visita. Confira!

Imóveis Novos

Para você que está visitando imóveis novos para a compra, ainda há duas possibilidades adiante: imóveis prontos para morar ou na planta. 

Imóveis Novos – Na planta

Visitar imóveis na planta é um exercício de imaginação. Por mais que o apartamento decorado seja o mais próximo possível do que vai ser o empreendimento real, ainda há variáveis que não podem ser dimensionadas na visita ao apartamento decorado. Por isso, nesse momento não esqueça de se atentar a alguns detalhes:

  • Posição da planta. Na maioria dos empreendimentos, há apenas uma opção de decorado, criado a partir da planta principal do apartamento. Por exemplo: empreendimentos com opções de dois e três quartos, em geral, terão apenas uma opção de planta decorada. Por isso, é importante ter em mente que seu futuro apartamento talvez não tenha as mesmas características estruturais que você observou no decorado. Além disso, lembre-se que a posição da planta interfere diretamente na incidência solar e também na vista do imóvel. 
  • Localização. Às vezes, o apartamento decorado não fica no local real do empreendimento. A dica aqui é visitar a região da obra, observar a localização e também os ambientes e serviços disponíveis nos arredores do empreendimento.

Mas as dicas para fazer uma boa visita a um empreendimento na planta não acabam por aí! Preste atenção nesses outros três aspectos na hora de avaliar seus imóveis preferidos!

Avalie o padrão de entrega da construtora

Diferente de um imóvel pronto, você não pode visitar um imóvel na planta da forma como ele vai ser entregue ao comprador final. Entretanto, é possível avaliar o padrão de entrega da construtora desde a visita ao decorado. Para isso, cheque questões como: quais são os  acabamentos estão inclusos no valor total do apartamento, qual a qualidade desses produtos, ou seja, pisos, cubas, azulejos, revestimentos, gesso, além de itens como pintura, portas e rodapés. Assim, você pode prever possíveis custos adicionais ainda nesse momento de avaliação.

Além disso, há outras dicas valiosas para você fazer uma boa análise do seu futuro apartamento desde a visita inicial. A primeira delas é avaliar outros empreendimentos já entregues pela construtora do apartamento que você está prestes a visitar. Assim, você tem mais segurança de como o imóvel será entregue com base em exemplos práticos. 

Outro trunfo que pode ser utilizado nessa etapa é analisar o memorial descritivo do imóvel, documento que concentra todas as especificações de estrutura e entrega do empreendimento. Quer ver um exemplo de memorial descritivo? Faça download do Memorial Descritivo do empreendimento Raízes Parque Cascavel, localizado em Goiânia-GO.

Custos de rateio inicial

Você sabia que pode ser que nem todos os itens das áreas comuns estejam instalados na hora da entrega do empreendimento?

Isso pode acontecer! Objetos como cortinas do salão de festas, aparelhos de ar condicionado e móveis do hall de entrada, por exemplo, às vezes precisam ser custeados pelos condôminos depois da entrega do empreendimento. Por isso, vale se atentar para esses cursos de rateio inicial, mesmo que essas despesas não influenciem diretamente no valor final da compra.

Ei! Ficou curioso para saber quais custos podem estar escondidos na compra de um imóvel? Leia nosso artigo – Quanto custa comprar um imóvel: todos os custos inclusos nessa aquisição

Fique atento ao decorado!

A função do apartamento decorado é encantar! Nesse ambiente, tudo é planejado para que você se sinta morando no apartamento que está prestes a comprar. De fato, é bom poder ter a experiência do imóvel antes mesmo dele estar “de pé” como é o caso dos apartamentos na planta, mas é preciso estar atento a alguns truques, como a utilização de espelhos nos cômodos, para dar a sensação de amplitude no ambiente, além de itens como paisagismo e detalhes como rebaixamento em gesso ou acabamentos em mármore.

Imóveis Novos – Pronto para morar

Visitar um imóvel pronto para morar permite ao comprador ter uma sensação mais realista de como será o dia a dia na possível nova residência. Mesmo assim, ainda há aspectos que precisam ser analisados de forma criteriosa nessa visita. Confira!

Acabamentos

Assim como imóveis na planta, verificar os acabamentos de imóveis prontos para morar é essencial. Mas nesse caso, a análise pode ser ainda mais profunda, afinal, você pode visitar o apartamento concluído, e visualizar a qualidade dos acabamentos.

Estrutura do Imóvel

Nesse tópico entram questões como pontos preparados para instalação de ar-condicionado, projeto luminotécnico e estrutura de fechamento de portas e janelas. Além disso, facilidades como fechadura eletrônica, elevador ou piscina privativa, e possibilidades de automação interna, como eletrodomésticos e eletrônicos, podem ser recursos bastante atrativos para quem busca conforto e segurança, além de contar pontos para a valorização do imóvel.

Características e valor do condomínio

Nos imóveis prontos para morar, é possível ter mais clareza do valor do condomínio e dos possíveis custos iniciais comuns aos moradores, como rateio de móveis para o hall de entrada, por exemplo. Dessa maneira, você pode se planejar quanto aos custos “implícitos” na compra do imóvel, já que em um empreendimento pronto para morar as despesas condominiais precisam ser assumidas assim que o contrato de compra e venda é assinado.

Imóveis Usados

Se o seu interesse está direcionado a imóveis usados, há diversas questões, principalmente no que diz respeito à conservação do imóvel, que precisam ser avaliadas no momento da visita. Confira!

Avalie a condição do condomínio

O primeiro passo para avaliar um imóvel usado na hora da visita é o seu nível de conservação. Questões como o ano de conclusão do empreendimento,  tecnologia utilizada no projeto e também rotina de manutenção influenciam diretamente no estado de preservação de um imóvel. Cheque todos esses aspectos desde a primeira visita, e não se deixe enganar pela fachada, ela pode esconder um prédio com o interior depreciado.

Faça um checklist da estrutura

Da porta para dentro, a conservação diz respeito exclusivamente ao proprietário do imóvel! É nessa fase da visita que você deve redobrar a atenção aos detalhes. Afinal, aspectos que passarem despercebidos nesse momento, podem representar um custo adicional inesperado para o novo proprietário, e isso engloba questões como parte hidráulica, elétrica e acabamentos. Reparos que, cá entre nós, não costumam ser baratos.

Por isso, é importante que você faça um checklist de todos esses itens, além de verificar manchas, estado do piso, paredes, pintura, manchas, rachaduras ou infiltrações. Isso pode te salvar de gastos inesperados no futuro!

Mobília e decoração

É comum que apartamentos usados já sejam entregues com alguns móveis, ou até decoração própria. Nesses casos, a visita é ainda mais fundamental para checar não só o estado de conservação dos produtos, como também a estética do ambiente. Durante a visita, faça o exercício de se imaginar no dia a dia naquela residência, e então se questione: além de bonito, é funcional? Atende minhas necessidades básicas? Vou precisar alterar ou incrementar algum cômodo? Tudo isso deve ser levado em consideração antes de fazer a escolha de compra.

Valor do condomínio

Um fator que faz toda a diferença na hora da decisão final de compra é o valor do condomínio. Principalmente nos empreendimentos mais antigos, os custos de manutenção, e a ausência de novas tecnologias, podem gerar um aumento considerável no seu gasto mensal.

Outro ponto que tem grande influência na taxa condominial é a portaria. Portarias remotas, que trabalham com porteiros localizados em uma central, tendem a ser muito mais baratas quando comparadas a portarias presenciais, nas quais os profissionais trabalham exclusivamente para o condomínio.

Converse com vizinhos!

Ninguém melhor para falar do imóvel do que quem vive o dia a dia do apartamento. Converse com os vizinhos, porteiros e até com o síndico, se possível, para checar questões como regras do condomínio, lifestyle dos moradores, uso das áreas comuns e vantagens e desvantagens do empreendimento. Mas fique atento nessas conversas! É natural que moradores proprietários tendam a valorizar sua posse, então procure diversificar suas fontes de informação para ter um panorama real da vida no condomínio!

O que fazer quando eu não posso visitar o imóvel?

Por mais que seja uma condição menos comum, é possível que o futuro comprador não possa visitar pessoalmente os imóveis de seu interesse. Isso acontece principalmente por duas situações: os compradores são estrangeiros, ou brasileiros fora do país de origem, e não têm disponibilidade para fazer a visita in loco, ou a própria construtora não possui apartamentos decorados para a demonstração do empreendimento. 

Se identificou com alguma dessas situações? Pode ficar tranquilo! Preparamos uma série de dicas especiais para você não ter surpresas indesejadas no momento de tomar sua decisão de compra!

Faça uma visita por vídeo!

Caso o imóvel possa ser visitado, mas você não consiga estar presencialmente na visita, faça uma visita por vídeo pelo interior do empreendimento para avaliar, mesmo que à distância, questões como disposição dos cômodos, acabamentos em geral, tanto o estado de conservação, quanto se há todos os acabamentos necessários. Para isso, peça para seu corretor fazer uma chamada de WhatsApp com você, e “ande” pelo apartamento através dele, assim você poderá ver mais de perto, mesmo que por uma tela, detalhes do imóvel.

Visite a região do imóvel

Nos casos em que não há opção de visita, como apartamentos sem estande decorado, por exemplo, vale você avaliar a região onde a obra será realizada, a posição do prédio, as vantagens e desvantagens da localização. Assim, mesmo não podendo ter a experiência da visita, você garante que o bairro em que ficará situado o seu futuro imóvel combina com você e atende suas necessidades básicas!

Avalie o histórico da construtora

Essa dica vale para qualquer um que queira comprar um imóvel sem desconfiança! Procure outros empreendimentos da mesma construtora que você está prestes a comprar, avalie o padrão de entrega dos imóveis, cheque reclamações e possíveis processos judiciais da empresa, para garantir que você conheça de fato a empresa na qual você está confiando o sonho do seu imóvel novo. Além disso, tenha sempre ao lado um profissional imobiliário que te oriente a respeito da idoneidade e reputação das construtoras disponíveis no mercado.

Pronto para a visita?

Depois dessa série de dicas, esperamos que você esteja bem preparado para visitar aquele que pode ser seu novo lar! Não esqueça que esse momento é decisivo para a decisão de compra, então sinta-se à vontade para tirar todas as suas dúvidas com o profissional que estiver te acompanhando, além passar quanto tempo achar necessário no imóvel e até repetir a visita outras vezes se quiser. 

E caso você ainda esteja procurando por imóveis do seu interesse, acesse nosso buscador e encontre o seu imóvel ideal.