Conseguir o melhor preço na compra de um imóvel que corresponde às suas preferências parece muito difícil para você?

Para a maioria das pessoas que estão percorrendo a jornada de compra de um imóvel, a resposta é sim. A verdade é que conseguir o melhor preço vai muito além de, propriamente, negociar imóveis. Para isso, é preciso conhecer o mercado, analisar e comparar preços, e principalmente: saber das regras do jogo no setor imobiliário. Neste conteúdo, você vai ficar por dentro das principais estratégias para garantir o melhor preço no seu imóvel de interesse, e aprender a usar as condições do mercado a seu favor. Vamos lá?!

Melhor preço em um imóvel X O imóvel mais barato do mercado

Antes de tudo, é preciso esclarecer essa diferença: encontrar o imóvel mais barato do mercado é diferente de conseguir o melhor preço em um imóvel. Isso porque entre essas duas relações, há você, comprador, seus desejos e prioridades com a aquisição do imóvel. 

Para entender essa diferença, é preciso imergir na lógica de compra de imóveis: dentro de todos os imóveis disponíveis no mercado, há imóveis que correspondem às suas prioridades de compra  (localização, padrão e características), e imóveis que entram no seu orçamento. A melhor compra acontece quando você encontra a união desses dois fatores: imóveis dentro das suas prioridades, que entram no seu orçamento disponível. 

É por isso que buscar imóveis baratos, exclusivamente, significa deixar de lado diversas preferências em relação ao imóvel. Já conseguir o melhor preço em um empreendimento, significa pesquisar e negociar tomando por base suas prioridades e anseios com o imóvel. 

Entendendo o mercado imobiliário: a lei da oferta e da procura a seu favor

Lembra da boa e velha Lei da oferta e da procura? Pois é! Conseguir o melhor preço na compra de um imóvel é saber utilizá-la a seu favor. 

O segredo nessa relação é entender o fluxo de procura do imóvel que você está interessado. Saber quantas unidades há disponíveis no empreendimento, a velocidade de vendas, ou no caso de um imóvel usado, saber há quanto tempo esse bem está à venda, te dá uma noção mais ampla de como o mercado está absorvendo esse imóvel. Se ele for um empreendimento muito concorrido, a tendência é que o seu valor aumente e a negociação não tenha muita margem para descontos. Já nos imóveis com menor procura, geralmente os vendedores estão mais abertos à negociação, o que pode ser a chave para você conseguir o melhor preço.

Depois dessa explicação você pode estar se perguntando: mas como vou descobrir se o imóvel que eu estou interessado tem alta ou baixa procura? Para isso, separamos algumas dicas práticas para você avaliar a concorrência dos imóveis desde a primeira busca:

DICAS

  • Para imóveis na planta uma boa dica é avaliar o fluxo de venda dos apartamentos. Em um ritmo “saudável” de vendas, é comum o empreendimento ter entre 30 e 50% das unidades vendidas no período de lançamento, e mais próximo a entrega, cerca de um ano antes, uma média de 70%. Atente-se para empreendimentos que fujam muito desse padrão, por exemplo edifícios com poucas unidades vendidas próximos a entrega, ou até já entregues. Esses casos representam grandes oportunidades de negociação, já que a procura é baixa e há uma boa oferta de unidades disponíveis.
  • Saiba há quanto tempo esse imóvel está à venda. Para isso, conversar com o proprietário e o corretor de venda é fundamental.
  • Cheque quantas unidades estão sendo anunciadas no mesmo empreendimento. Caso você observe que há muitas opções de apartamentos sendo anunciadas no mesmo prédio é sinal de que a procura por esse empreendimento é baixa.

Conheça e compare os valores por região 

Agora que você já sabe como analisar a concorrência no mercado, o próximo passo na busca pelo melhor preço é ter domínio dos valores praticados na região onde você está procurando imóveis. O índice mais confiável para essa determinação é o preço por metro quadrado, que pode variar conforme alguns fatores: 

  • Localização
  • Padrão do Imóvel
  • Idade do empreendimento
  • Características internas – mobília, acabamento, decoração.

Ter noção de quanto custa o metro quadrado na região onde você está buscando imóveis, garante que você possa comparar empreendimentos e avaliar se está “caro” ou “barato”, considerando as especificidades de cada imóvel. 

Entenda o que tem mais valor para o vendedor na hora da negociação

Nessa etapa da busca pelo melhor preço é preciso relembrar o conceito de negociação: discussão que tem como objetivo chegar a um acordo que seja bom para os dois lados envolvidos. Essa é a parte que muitos compradores se esquecem: para conseguir o melhor preço é preciso entender quais condições podem ser atrativas para o vendedor e saber se aproveitar delas para ternar diminuir o custo total do imóvel. As principais delas listamos abaixo. Confira!

Dinheiro na mão

Capacidade de compra é um fator que sempre atrai vendedores. Um bom valor para de entrada, a carta de aprovação de crédito de um financiamento imobiliário ou até mesmo bens que possam entrar na negociação, principalmente no caso de imóveis usados, são ativos que contam pontos a favor do comprador na hora da negociação.

Dinâmica no fluxo de pagamento

Outro ponto que costuma facilitar as negociações é quando o comprador pode pagar mais rápido pelo imóvel, ou seja, em um fluxo de pagamento menor. Nesses casos,  entradas com  maior valor,  pagamentos periódicos de “balões” e até parcelas com valores maiores, representam uma vantagem para o vendedor, que receberá pelo bem vendido em um período menor de tempo. 

Saiba como fazer a proposta certa, na hora certa

A proposta é a formalização do interesse do comprador pelo imóvel. É nesse momento que as especulações ficam de lado e o primeiro passo rumo ao possível acordo de compra e venda é dado. Por isso, é importante saber quando e como fazer uma boa proposta por aquele imóvel que fez você brilhar os olhos.

Qual é a hora certa de fazer uma proposta ao vendedor?

Como dissemos, a proposta é a linha que separa a busca ativa da escolha do seu futuro imóvel. Assim, fazer a proposta no momento certo é essencial para demonstrar que você está de fato interessado no imóvel, e disposto a negociar por ele. 

Em geral não há uma regra que dite o momento ideal para realizar a proposta pelo imóvel, mas é importante que você já tenha demonstrado capacidade de compra previamente ao vendedor, para que ele perceba que além de interesse, você também tem condições para fazer essa aquisição, e não está apenas fazendo um “blefe”. Assim, cartas de aprovação de crédito e valores de entrada, soam como “dinheiro na mão” para os vendedores.

Além disso, antes de fazer a proposta tenha certeza que você conhece o imóvel o suficiente para dar esse passo. Ter feito uma boa visita ao empreendimento, conhecer todos os valores implícitos na compra,  e também pesquisar sobre o histórico da construtora ou incorporadora, principalmente nos casos dos imóveis na planta, é essencial para que você tenha segurança na hora de fazer a proposta para o que pode ser seu futuro imóvel.

Começar pedindo desconto ou ir aprofundando na negociação?

Essa dúvida é muito comum entre os compradores, e a resposta é: tudo depende da postura e flexibilidade do vendedor. 

Em geral, quem está interessado em vender já tem um limite de desconto pré-estabelecido para o imóvel, assim uma proposta próxima a esse valor torna-se muito atraente para o vendedor. 

Por exemplo: se o valor do imóvel é R$ 300 mil, mas o proprietário considera vendê-lo por até R$ 280 mil, uma proposta por volta de R$ 270 mil tende a gerar uma boa negociação, já que o valor está próximo do limite estipulado pelo vendedor. Aproveitando essa mesma situação, caso o comprador ofereça já na primeira proposta um valor muito aquém do aceito pelo vendedor, R$ 250 mil por exemplo, é possível que o vendedor nem esteja disposto a dialogar acerca dessas condições.

Não há fórmula mágica para a proposta, o ideal antes de efetuá-la é identificar o quanto o vendedor está propenso a baixar no preço final para fechar o negócio e trabalhar a negociação baseada nesse valor. 

Ponto de saturação da negociação: você sabe quando parar de barganhar? 

Lembra da lógica de oferta e procura de imóveis? Ela é fundamental também para reconhecer o ponto de saturação da negociação, ou seja, quando o comprador não está mais disposto a discutir as condições da compra e o preço final já está determinado.

Como dissemos anteriormente, imóveis com alta procura tendem a ter menos margem de negociação, portanto, principalmente nesses casos é importante que você inicie já com uma proposta atraente, considerando o seu lado e o lado do vendedor. Além disso, também é importante se atentar  para não perder o “timing” do empreendimento e acabar ficando sem o imóvel por ter barganhado demais.

Para conseguir o melhor preço no seu imóvel, não se esqueça dessas dicas:

  • Tenha um profissional imobiliário de confiança para te acompanhar nessa jornada. Negociar um imóvel é um jogo de interesses, por isso é essencial  que o seu corretor também jogue do seu lado nessa partida. 
  • Conheça a sua capacidade de compra e estipule seu “teto” de gastos. É comum que durante a busca ativa, você se encante com imóveis que fogem do seu orçamento, por isso não se esqueça do seu planejamento financeiro e busque não comprometer mais do que 30% da sua renda mensal fixa com parcelas de financiamento imobiliário.
  • Controle a emoção na hora de buscar o melhor preço pelo imóvel. É possível que, caso você demonstre muito interesse pelo empreendimento logo nas primeiras tratativas, o vendedor se torne menos flexível à negociação, aproveitando-se do seu entusiasmo pela compra.

Pronto para negociar seu próximo imóvel?

Agora que você está por dentro de todos os fatores essenciais para conseguir o melhor preço no seu próximo imóvel, que tal dar uma olhada no nosso catálogo de empreendimentos?